Selecionamos 10 rótulos que não podem faltar em uma comemoração do Dia da Cerveja Alemã, e ainda aproveitamos para sugerir pratos típicos da culinária alemã para harmonizar.

Confira, experimente e depois nos conte o que achou!

Saiba Mais

Responda ao questionário e descubra se, quando se fala de escola alemã, você é um “Azubi” ou um “Sachverständiger”!

Saiba Mais

Uma das grandes experiências cervejeiras é a harmonização de queijos com cervejas. Aqui deixo a sugestão de cinco combinações simples que você pode fazer em casa.

Saiba Mais

Depois da ressaca do Réveillon e da folia do Carnaval, 2015 começou oficialmente no Brasil. É hora de parar um pouco para refletir sobre o que aconteceu no ano passado e calibrar as expectativas para o mercado cervejeiro em 2015, que já começou com tudo.

Tendo surgido em 2004 como site, e evoluído para uma rede de lojas de cervejas – passando por dezenas de eventos, workshops, consultorias, viagens cervejeiras, e curso de sommelieria –, temos no Mestre-Cervejeiro.com uma posição privilegiada de contato com profissionais e entusiastas da cerveja atuando em diversas áreas. Isso nos permite conhecer diferentes pontos de vista sobre o mercado.

Relatos e percepções têm grande importância, porém, não bastam. Opiniões são muitas vezes conflitantes, e sempre condicionadas por perspectivas políticas, ideológicas e psicológicas. São necessários, portanto, dados brutos. Lentamente, vemos surgindo no Brasil, apesar da notória dificuldade em obter dados confiáveis sobre o mercado cervejeiro, algumas iniciativas que ajudam a clarear esta névoa de informações.

Confira abaixo alguns dos desafios que o mercado cervejeiro enfrentará em 2015.

Previsões para o mercado cervejeiro em 2015


O ritmo de crescimento vai diminuir, mas está longe de parar


mercado-cervejeiro-em-2015-crescO mercado cervejeiro não dá sinais de que vai parar de crescer a um ritmo elevado, porém, certamente haverá uma desaceleração. Enquanto o crescimento dos últimos anos tem sido estimado por especialistas em torno de 40% ao ano, a previsão para 2015 é de aproximadamente 30%.

É a já prevista crise econômica de 2015 mostrando suas garras, que, para os profissionais do ramo e apreciadores da bebida, vai se agravar com o aumento nos impostos que deverá vir em Maio. Já sabe no que isso vai dar, não sabe? É, cervejeiros e cervejeiras, infelizmente…


A cerveja vai ficar mais cara


mercado-cervejeiro-em-2015-cerveja-mais-caraAssim como todos os outros produtos! E não é só por causa dos impostos. O preço do combustível já subiu, aumentando custos de transporte. Fatores climáticos (e políticos) começam a comprometer a geração de energia, aumentando seu custo e consequentemente pressionando a indústria, que há tempos já não vai bem das pernas. E muito embora o enfraquecimento do Real favoreça a exportação, os produtores de cerveja artesanal – que dependem muito de insumos importados – sairão na pior.

Com este cenário econômico desfavorável e a previsão de declínio geral no consumo e aumento de dívidas nas famílias, é mais que provável que os fabricantes se preocupem com a capacidade do público em absorver rótulos mais caros. Apesar disso…


A criatividade nas receitas vai continuar


mercado-cervejeiro-em-2015-criatividadeO consumidor brasileiro já deixou bem claro que é apaixonado por APAs, IPAs, e cervejas lupuladas em geral, particularmente as da Escola Americana. Estas cervejas vão continuar sendo muito consumidas, bem como as cervejas de trigo alemãs que servem de porta de entrada para novos cervejeiros e cervejeiras. Mas vamos ver cada vez mais receitas diferentes e criativas, como demonstra a recente explosão de Saisons e Sour Beers, que continua firme, bem como cervejas envelhecidas em barril.

Além daquilo que ele já conhece, o consumidor quer ver novidades. E à medida que ele vai conhecendo mais sobre cervejas, os fabricantes percebem a possibilidade de brincar mais com estilos menos conhecidos (vai uma Grodziskie?) e ingredientes exóticos. E isso é ótimo – para quem trabalha com seriedade, é claro. Por que…


Vai começar a seleção natural no mercado


mercado-cervejeiro-em-2015-selecaonaturalÀ medida que o mercado e os consumidores vão amadurecendo, a qualidade começa a ser mais importante que apenas a novidade. Isso vale tanto para a produção quanto para o serviço! Investidores querendo surfar a “onda” das cervejas artesanais, vendedores descompromissados, garçons e garçonetes sem treinamento propagando informações errôneas… todos terão que se adaptar ou perecer.

Quanto mais consumidores entram em contato e exploram a Cultura da Cerveja, maior a necessidade de profissionais realmente qualificados para atendê-los. Quanto mais profissionais qualificados e consumidores conscientes, maior a necessidade de estrutura – legislativa, tributária, regulamentadora, produtiva. Por isso…


A cerveja artesanal buscará maior representatividade política


mercado-cervejeiro-em-2015-representatividadeEsta busca já começou em 2014, com os esforços dos cervejeiros, principalmente, na aproximação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (o famoso MAPA), com os objetivos de agilizar o registro e permitir maior criatividade nas receitas. Um exemplo é que a legislação atual não permite o uso de mel, leite ou chocolate em receitas de cerveja. Qualquer fórmula que fuja da clássica combinação água + malte + lúpulo + levedura fica sujeita à longos períodos de análise até ser liberada pelo órgão regulador.

Além desta aproximação, a Associação Brasileira das Microcervejarias (Abracerva) tentou junto ao governo obter melhores condições tributárias para o segmento na minirreforma da tributação do setor de bebidas. A polêmica mudança tributária foi comemorada por alguns e lamentada por muitos. O que nos leva ao último ponto…


Os membros do setor precisam se unir


mercado-cervejeiro-em-2015-uniaoEste último ponto é mais um desejo – expresso por diversos profissionais do meio cervejeiro em suas retrospectivas de 2014 na enquete anual idealizada pelo jornalista Roberto Fonseca – do que uma previsão, e é reiterado por toda a equipe Mestre-Cervejeiro.com.

Estamos chegando a uma encruzilhada. De um lado, o distanciamento dos “grandes” produtores artesanais de seus colegas de menor porte. Do outro, a união de todos os membros do setor em busca do fortalecimento de toda a cadeia – do produtor de insumos ao consumidor, passando pelas fábricas, distribuidoras e pontos de venda.

Vamos caminhar juntos em busca do fortalecimento e propagação da verdadeira Cultura da Cerveja!


E aí, o que você acha que vai acontecer no mercado cervejeiro em 2015? Vamos continuar a conversa nos comentários!

O feriadão do Carnaval está chegando e é uma ótima oportunidade para provar boas cervejas com os amigos, com a família ou como aquecimento para a folia.

Separei uma lista com 15 cervejas para o Carnaval. Algumas são novidades, outras já conhecidas. E para todas elas, sugeri dicas simples e rápidas de harmonização.

Não deixe para abastecer o seu estoque de cervejas na última hora. Aproveite a lista e vá as compras! Todas essas cervejas podem ser encontradas nas nas lojas Mestre-Cervejeiro.com. Se estiverem indisponíveis no momento, é só encomendar!

Depois de ler, compartilhe conosco o que achou da seleção. Qual delas já provou? Qual é a sua favorita? Que outro tipo de harmonização você indicaria?

15 Cervejas para o Carnaval

Brewdog Jack Hammer
Brewdog Jack Hammer

BrewDog Jack Hammer

Origem: Fraserburgh – Escócia
Teor Alc.: 7,2%
Estilo: American India Pale Ale

Para começar bem esta seleção, nada mais nada menos que uma das novidades da Brewdog por aqui, a Jack Hammer. Como os próprios caras da cervejaria dizem sobre essa cerveja “Coloque uma bala na cabeça da mediocridade!”. Vai fundo!

Harmonização: Ceviche de camarão

Tupiniquim/Evil Twin Extra Fancy IPA
Tupiniquim/Eviltwin Extra Fancy IPA

Tupiniquim / Evil Twin Extra Fancy IPA

Origem: Porto Alegre, RS – Brasil
Teor Alc.: 6,3%
Estilo: American India Pale Ale

Outra grande cerveja que chegou recentemente nas nossas lojas foi a Extra Fancy IPA, da brasileira Tupiniquim (RS) e da norueguesa Evil Twin – uma parceria que está dando o que falar. Cada cerveja que eu provo deles é melhor do que a outra. Essa IPA ficou sensacional, refrescante, cítrica, com acidez presente e amargor delicioso.

Harmonização: Lula grelhada na churrasqueia (sim, isso mesmo!)

Seasons Pacific Extra Pale Ale
Seasons Pacific Extra Pale Ale

Seasons Pacific Extra Pale Ale

Origem: Porto Alegre, RS – Brasil
Teor Alc.: 5,6%
Estilo: American Pale Ale

A Seasons Extra Pale Ale, também gaúcha, é leve, fácil de ser bebida e tem muita presença de lúpulo. Estou curtindo muito cervejas com esse perfil e essa vale muito a queda. Ela é sazonal de verão, portanto, corra garantir a sua!

Harmonização: Bruschetta de linguiça Blumenau

2Cabeças/Stillwater Caramba!
2Cabeças/Stillwater Caramba!

2Cabeças / Stillwater Caramba!

Origem: Rio de Janeiro, RJ – Brasil (fabricada na Dortmund em Serra Negra/SP)
Teor Alc.: 6%
Estilo: Saison

A pira do Brian Strumke, mestre cervejeiro da Stillwater, é fazer Saisons / Farmhouse Ales. Ele veio pra o Brasil em 2014 e atacou as frutas locais, fazendo cervejas colaborativas com várias cervejarias daqui. Com a carioca 2Cabeças rolou essa Saison com carambola, que ficou fantástica!

Harmonização: Queijo brie com mel (taca maçarico em cima e depois conta como ficou)

Tupiniquim/Stillwater Saison de Caju
Tupiniquim/Stillwater Saison de Caju

Tupiniquim / Stillwater Saison de Caju

Origem: Porto Alegre, RS – Brasil
Teor Alc.: 6,8%
Estilo: Saison

Ainda falando do Brian, da Stillwater, aqui ele aparece junto com a Tupiniquim nessa Saison de Caju. Imagine uma cerveja Saison com todo aquele perfil belga, e agora acrescente caju. Uma combinação inédita e que deu muito certo.

Harmonização: Baguette com salpicão de frango

Stillwater Artisanal Ales Classique
Stillwater Artisanal Ales Classique

Stillwater Artisanal Ales Classique

Origem: Baltimore, Maryland – Estados Unidos
Teor Alc.: 4,5%
Estilo: Saison

Continuando na onda da Stillwater, a Classique é uma das mais famosas da cervejaria. Adorei essa cerveja, tanto que sempre tenho algumas latas na geladeira. Ela é refrescante, tem o perfil frutado das leveduras belgas típico de uma Saison, e baixo corpo, mas sem perder a personalidade.

Harmonização: Camarão ao bafo com limão espremido e flor de sal

Dieu du Ciel Rosée D'hibiscus
Dieu du Ciel Rosée D’hibiscus

Dieu du Ciel Rosée D’hibiscus

Origem: Montréal, Quebec – Canadá
Teor Alc.: 5,9%
Estilo: Witbier com Hibisco

Provei a primeira vez essa cerveja no brewpub da Dieu du Ciel em Montreal, e de lá para cá aguardei ansiosamente a vinda dela pro Brasil. Ainda bem que chegou. Alguns rótulos da cervejaria estão sendo importados, e a Rosée D’hibiscus foi um deles. Ela é uma witbier com adição de flor de hibisco, o que deixa a cerveja com coloração rosada, leve acidez e bem aromática.

Harmonização: Queijo de cabra regado com azeite de oliva e pimenta rosa

Wensky Malina
Wensky Malina

Wensky Malina

Origem: Araucária, Paraná – Brasil
Teor Alc.: 4,2%
Estilo: Witbier com Framboesa

Se ficou interessado na Dieu du Ciel Rosée D’hibiscus ou já provou ela e gostou, vai curtir também a Wensky Malina. É uma Witbier maturada com framboesas, de perfil ácido, baixo corpo e sabor da framboesa presente.

Harmonização: Praia ou Piscina

Anderson Valley the Kimmie, the Yink and the Holy Gose Ale
Anderson Valley the Kimmie, the Yink and the Holy Gose Ale

Anderson Valley the Kimmie, the Yink and the Holy Gose Ale

Origem: Boonville, California – Estados Unidos
Teor Alc.: 4,2%
Estilo: Gose

Uma cerveja que chegou recentemente no Brasil e está causando muita polêmica. Uns estão adorando, outras estão odiando. Eu sou um dos que adoraram esta cerveja, pois gosto de sabores diferentes e já tinha provado anteriormente outras do estilo Gose. Para quem não sabe, as cervejas Gose levam adição de sal – e ficam saborosamente salgadas!

Harmonização: Ostras in natura, gratinadas, como quiser

Mestre-Cervejeiro.com 10 Anos por DUM
Mestre-Cervejeiro.com 10 Anos por DUM

Mestre-Cervejeiro.com 10 Anos por DUM

Origem: Curitiba, Paraná – Brasil
Teor Alc.: 3,8%
Estilo: Session* Porter

Gente, foi mal, mas vou praticar uma autopromoção aqui. Esta é a cerveja de 10 anos do Mestre-Cervejeiro.com, cuja receita foi feita pela DUM Cervejaria. É uma Session Porter com 3,8%, que leva cacau belga e tem 30 IBUs. Baixo corpo, delicioso amargor, com gosto do cacau e dos maltes torrados.

Harmonização: Espetinho de alcatra com legumes e bacon

Berliner Kindl Weisse
Berliner Kindl Weisse

Berliner Kindl Weisse

Origem: Berlin – Alemanha
Teor Alc.: 3,0%
Estilo: Berliner Weisse

Cerveja de trigo alemã tudo mundo conhece, mas Berliner Weisse poucos cervejeiros e cervejeiras já provaram por aqui. Diferentes das tradicionais Cervejas de Trigo do sul da Alemanha, as Berliner Weisse são muito ácidas e frequentemente servidas com a adição de algum xarope fruta ou já vem misturadas. Eu prefiro pura, como esta aqui.

Harmonização: Gosto dela sem harmonizar para abrir o apetite e iniciar os trabalhos. O que você indica?

Jupiter American Pale Ale
Jupiter American Pale Ale

Júpiter American Pale Ale

Origem: São Paulo, SP – Brasil
Teor Alc.: 5,4%
Estilo: American Pale Ale

Tenho pouco contato com as cervejas da Júpiter, pois elas não vem com frequência para o Sul. Mas pude provar a American Pale Ale dos caras na nossa loja em São Paulo (Perdizes), e fiquei muito surpreso com o frescor de lúpulo dessa cerveja. Ao servi-la no copo, já sobem os aromas cítricos e, na boca, o amargor dela está ótimo, muito limpo.

Harmonização: Panelada de Carangueijo

Eviltwin Bikini Beer
Eviltwin Bikini Beer

Eviltwin Bikini Beer

Origem: Copenhagem – Dinamarca
Teor Alc.: 2,7%
Estilo: Session* IPA

Uma cerveja com só 2,7%? Sim,essa é a Bikini Beer da Eviltwin. Outra cerveja que também sempre tenho na minha geladeira. Uma Session IPA que dá para beber em Litros, e ainda entrega os mesmos gostos lupulados típicos das Americans IPAs. Leve sem pena para casa!

Harmonização: Mix de azeitonas

Bastards Jean le Blanc
Bastards Jean le Blanc

Bastards Jean le Blanc

Origem: Pinhais, Paraná – Brasil
Teor Alc.: 4,9%
Estilo: Witbier

Outra cervejaria curitibana no pedaço que está conquistando rapidamente o gosto dos cervejeiros e cervejeiras. A Jean Le Blanc é uma witbier com capim limão. Além de ser muito boa, tem ótimo custo benefício. É para matar a sede por cervejas boas de goladas.

Harmonização: Casquinha de siri

Schneider Weisse TAP X Mein Aventinus Barrique
Schneider Weisse TAP X Mein Aventinus Barrique

Schneider Weisse TAP X Mein Aventinus Barrique

Origem: Kelheim – Alemanha
Teor Alc.: 9,5%
Estilo: Weizenbock maturada em Barril

O lançamento dessa cerveja foi em 2013, mas provei somente agora. Feita a partir da Schneider Weisse TAP 6 Aventinus e Aventinus Eisbock, ela é maturada em diferentes tipos de barris por quase um ano. Complexa em aromas que remetem a licores, cereja e baunilha. Também é complexa na boca, com alto corpo, equilibrada e levemente azeda. Ela está perfeita.

Harmonização: Carne grelhada e queijos de fungo azul – ou os dois juntos!


Um ótimo Carnaval Cervejeiro! Saúde!


*As cervejas Session são reproduções de baixo teor alcoólico de estilos tradicionais, porém a idéia é entregar as mesmas ou qualidades superiores degustativas.

Verifique disponibilidade destas e outras cervejas numa loja Mestre-Cervejeiro.com. Conheça as nossas lojas: www.mestre-cervejeiro.com/lojas